27 de ago de 2012

Mass effect 3 é um jogo LINDO, TOCANTE e uma das maiores (talvez a mior) obra prima da história dos vide-games.

 Faz um tempo que eu não faço um post para alienar os meus leitores né? Se bem que faz um tempão que eu não faço nada.
 Bem, hoje eu vou falar de um assunto controverso: o final de Mass Effect 3.
 Ou mais exatamente, por que se você odeia o final de Mass effect 3 e forçou a bioware a muda-lo você é uma putinha e merecia pegar câncer de cu...
 Hummm, pensando bem esse deveria ter sido o título do post... bah, foda-se voc~es sabemnm quwe eui nâo revsis0o os mesu postss.
 Para isso eu vou ANIQUILAR COM FORÇA NUCLEAR os seguintes argumentos (imbecis) que são a base dessa discussão ridícula.
1- Mimimi a EA apressô a BaioWer e por issu ki u finau fikô um ku
2- Mais Eféct é sobri iscolha e o finau n tem iscolha.
3- Eu naum quero um finau tristi pq eu sô um bebê chorão e quandueu choru a minha mae biga cumigu.
4- N traz nenhum fechamentu dus personagi
5- A baiower mintiu pra mim, us finau saum tudin iguau
6- Tem um bucadu di plot houle na historia tipu essis (insira plot holes inventados que eu logo vou mostrar que estão estúpidamente errados aqui)
7- As historia naum podem acabá assim sem fechamentu, elas tem q t~e uma câtscene de meia hora ixplicandu tudo tintin pur tintin pra mim pq a minha mae dis que eu sõ especial e é pur isso que eu tenho ki durmi nu berçu mesmo cum 28 anus de idadi
 Ok, vamos começar a defesa do MELHOR JOGO DESSA GERAÇÃO DE CONSOLES.
 Ah, e eu REALMENTE preciso dizer que esse artigo vai ter SPOILERS?

 1- A EA apressou a Bioware.
 Sabe quais foram as minhas missões favoritas em todos os Mass Effects que eu joguei? 3 lugar: Lair of the shadow Broker; 2 Lugar: A invasão ao quartel general da Cerberus e o primeiro lugar: o último ataque desesperado à terra.
 Essas duas últimas missões são, bem... literalmente as duas últimas missões de Mass effect 3. Na verdade, na minha opinião o jogo só começa a alcançar o seu potencial verdadeiro depois que você encontra os Quarians. E fica MUITO melhor do terceiro ato para cima.
 A última missão é talvez a melhor missão (e aspectos artísticos) da história dos games. Certamente a melhor dessa geração. Ela é espetacular em diversos aspectos.
 Até agora Mass Effect teve cenários mais líricos, bastante claros e abusando de Lens Flare, mesmo com tudo explodindo à sua volta o mundo ainda é bonito. Pode-se muito bem dizer que até agora Sheppard nunca conheceu verdadeira guerra, mas quando você pousa na terra o que você vê não é bonito. A BioWare tomou a sábia descidão de fazer essa missão se passar em Londres. não é errado supor que uma cidade histórica como essa vai ficar relativamente parecida por ao menos um século. Então a Londes que você encontra devastada em Mass Effect 3 é extremamente parecida com a de hoje. Ou deveria ser, pois ela está arrasada pela guerra.
 E isso é tocante e triste, finalmente a série quebrou a barreira que separava o mundo deles do nosso, a parte mais triste e pesada do jogo fica ainda mais triste e pesada porque nós finalmente vimos por que nós temos que derrotar os Reapers. Do que eles são capazes. A última missão finalmente nos mostra por que nós devemos nos importar.
 Pode se argumentar que isso deveria ter sido feito logo de cara para não passarmos três jogos desconectados das motivações do herói. Mas essa conexão que nós sentimos quando pousamos na terra (e o desespero subsequente) são muito parecido com o que Shepard deve estar sentindo na hora.
 Não foram os diálogos ou as opções de interrupções que conseguiram fazer o jogador e o personagem finalmente se tornarem um só emocionalmente. Foi uma maestral combinação de timing e direção de arte.
 E eu nem pus do dedo no analógico ainda.
 Essa é a ULTIMA MISSÃO, o seu ápice, uma luta desesperada que foi o ponto alto dessa geração. Eu nunca temi tanto pela minha vida em um jogo; eu pude contemplar até onde as minhas incontáveis horas de investimento me levaram, um climax que testou todas as minhas habilidades e me fez usar até o último dos meus medkits, eu enfrentei hordas de todos os inimigos mais fortes, inimigos que previamente quase me mataram sozinhos. 
 Esse momento fantástico se passa literalmente vinte minutos antes do final do jogo.
 O PONTO ALTO DESSA GERAÇÃO SE PASSA VINTE MINUTOS ANTES DO FINAL DO JOGO E VOCÊ ME DIZ QUE A EA APRESSOU A BIOWARE Á PONTO DE DESTRUIR UM FINAL????
 VOCÊ TEM NOÇÃO COMO VOCÊ SOA RIDÍCULO????
 Essa missão foi perfeita em todos os ângulos, artístico, técnico, design, história, TUDO e é uma das últimas partes jogáveis (e a última parte com total controle do/a Shepard), isso quer dizer que o final FOI SIM o final que a Bioware queria, não o que a EA a forçou a fazer.
 Então você deveria ter tirado cinco minutinhos e tentado entender a menságem que a bioware tentou passar.
2- Mass Effect é sobre escolha, todas as escolhas que eu fiz deveriam contribuir para o final.
 Essa deve ser a pior de todas, porque é óbvio que o retardado que formulou isso leu todas as conversas por alto e jogou Mass Effect 3 dormindo.
 Existem quatro conflitos no universo de Mass Effect: Os reapers, o Genophage dos Krogan, Os Geth/Quarians e a Cerberus.
 Na primeira vez que eu joguei Mass Effect 3 eu DESTRUÍ OS REAPERS; CUREI O GENOPHAGE; DESTRUÍ OS GETH E DEVOLVI O PLANETA NATAL DOS QUARIANS PARA ELES E DESTRUÍ  A CERBERUS.
 Todos esses conflitos alcançaram uma resolução.
 Mas poderia ter sido diferente, eu poderia ter mentido para os Krogan e não ter curado o genophage, eu poderia ter me fundido com os Reapers, eu poderia ter matado os Quarian. Mas as minhas escolhas foram diferentes.
 Escolhas que vem se empilhando desde o primeiro jogo!
 Não só isso, as escolhas são muito intricadas, eu cheguei à conclusão que curar o Genophage foi um erro, pois como Urdnot Wrex não estava vivo e sob a liderança de Wreav os Krogan seriam uma ameaça para a galaxia. Mas se Wrex tivesse vivido teria sido ótimo. E mais, mantendo a pesquisa de Malon do segundo jogo no meu save seguinte eu fui capaz de curar os Krogan e manter Eve viva, assim ela pode viajar por Tuchanka promovendo a paz intergalática pelo povo Krogan.
 MINHAS DECISÕES, IMPACTANDO O JOGO.
 "maish eu quiria fasis diferentes dependendu do ki eu fish!"
 Ok, eu posso só estar falando do 2 (que muita gente que reclama do 3 diz ser o melhor jogo de Mass Effect), mas até agora nenhuma das minhas decisões impactou NEM UMA missão.
 Ok, talvez eu tivesse UM inimigo a menos para lutar. Ou estivesse com a Ashley ao invés do Kaiden, mas fora isso, nada.
 É porque se você tem dois neurônios você é capaz de perceber que as decisões de Mass Effect não afetam a história, só os personagens.
 "Nhê nhê nhê, explosões coloridas!"
 Gostou do final do 2?
 "Ahããããããm, eu goshtu muitu du finau du 2!"
 Das duas explosões de cores diferentes, mas com impactos filosóficos muito distintos qual você escolheu?
 "Unhééééééééé, vc eh mau, i burru, meu bondi vai t pegá!"
 Mas é exatamente isso.
 Mass Effect : Sempre a mesma explosão quando a Normandy dá o tiro final no Sovereign. Mass Effect 2: Duas opções de explosões dependendo se você escolher confiar na Cerberus ou não. Mass Effect 3: Três opções de explosões dependendo da sua posição filosófica em relação ao uso de violência, o direito que um ser humano tem de possuir poder e a DEFINIÇÃO QUE O JOGADOR TEM DE VIDA! Com ramificações titânicas que o jogo deixava para o jogador ponderar.
 Um final inteligente, que não te dá todas as respostas, deixando o jogador ponderar o impacto de suas ações no universo, sem força-lo a nenhuma conclusão.
 Mass Effect 1 e 2 te diziam o que era certo ou errado, Mass Effect 3 (particularmente a decisão final) se liberta desas concepções e deixa você decidir como a sua história deve ser, bem mais do que seria possível com uma rede de decisões. Não importa o quanto alguém tente ser neutro, sempre que uma pessoa escrever uma história ela vai beneficiar o lado que coincide com as suas crenças. Mass Effect sabe disso e decide terminar a história antes que possa forçar uma opiniã- NÃO - uma FILOSOFIA DE VIDA na garganta de uma pessoa.
 O final de Mass Effect 3 é o único momento do jogo em que você realmente toma uma descisão.
 E eu devo acrescentar, é belíssima a forma que o jogo resolve "libertar" o jogador do jogo, ele acaba deixando a maior de todas as perguntas no ar, o final de Mass Effect 3 é literalmente O COMEÇO DO RESTO DA SUA VIDA. É quando o jogador finalmente experimentou o que a história tinha a oferecer e finalmente pode decidir com certeza se a experiência valeu a pena. É um momento sagrado, solene que a maioria dos produtos de ficção falham em fazer jus. E que seria completamente desrespeitado se o final fosse Shepard e Garrus sentados em uma praia com um esqueleto de Reaper ao fundo felizes da vida com AS BILHÕES DE VIDAS PERDIDAS NAS ÚLTIMAS SEMANAS (sério, teve um cara que propôs exatamente esse final).
 Bem, parece que a humanidade quer receber o resto de sua vida de colher e bem explicadinho.
 Ah e o Mass effect extended cut? É Mass effect 3's ending for dummies, é o exato mesmo final, mas com as maravilhosas partes deixadas PROPOSITALMENTE em aberto moidas e servidas em pacotinhos industrializados.
3-O final não precisava ser triste, o que que há de errado com um final alegre?
 Resposta curta e grossa? 90% dos finais são alegres.
 Simples assim. Não se pode fazer um final triste apenas por ter um final triste, mas finais tristes simplesmente tem mais valor por questões de raridade. um diamante vale mais que ouro porque o ouro é mais comum.
 E tem um motivo pelo qual um final triste é mais raro. Pois para fazer um fim triste é preciso CULHÕES. Não é oque a audiência quer, não é fácil matar um personagem com o qual você se envolveu tanto (como escritor-amador-que-não-publicou-nada eu sei como é difícil) e exige que a audiência e o artista aceitem uma dura verdade: a vida sempre acaba em uma nota ruim. Por mais épica e heroica que tenha sido a sua morte, por mais horrível que você tenha sido em vida, morte sempre é acompanhada de tristeza. 
 Sem falar que a morte de shepard está em perfeito tom com o personagem em que ele foi baseado: Jesus.
 De verdade.
 Sheppard sabe de uma grande verdade que poucas pessoas (todas de certa forma líderes e representantes de alguém) sabem ou acreditam em, ele/ela morre mas volta à vida e no fim SHEPARD MORRE POR NÓS.
 E não é só Shepard. Thane, Miranda, Liara e provavelmente muitos outros são inspirados em figuras bíblicas.
 Shepard é um/uma Messias, e como o/a Messias comportado que ele/ela é ele/ela (isso tá ficando cansativo) morre para nos salvar.
 E mais uma coisa. O quê você considera como um final triste? Shepard SALVOU A GALÁXIA! a não ser que tu tenha morrido no final do 2 (e porra, tu correu hein!?) ou parado de jogar no meio SHEPPARD SALVOU A MERDA DO CARALHO DA PICA DO CU DA GALÁXIA! Trilhões de vidas foram salvas, e incontáveis futuras! O ciclo foi quebrado e as civilizações podem se desenvolver de formas imprevisíveis (por isso que os mass relays foram destruídos, tá, seu cuzão?), sim, foi triste, mas também foi o melhor dia da vida de trilhões de criaturas.
 E mais uma coisa, se você ficar demandando um final feliz sempre, é bem possível que você consiga que todos os games tenha finais felizes. E assim nós perdemos O laranja mecânica, Cidadão Kane e Onde os fracos não tem vez dos games.
4-Não traz fechamento dos personagens.
 Essa é ridícula. Completamente ridícula.
 Eu duvido que quem quer que tenha formulado essa bosta tenha jogado o jogo. Não, eu duvido que o animal que bolou essa pergunta saiba o básico sobre histórias. Não dá pra conceber isso.
 Não existe essa coisa de fechamento de personagem, não existe. o jeito mais próximo de um fechamento de personagem é ele morrer, e como as suas ações ainda afetam os demais personagens ele ainda está impactando a história.
 Existem fechamentos de arcos de personagens, que se dão por resolução de conflitos, e todos os importantes foram concluídos no 3.
 A existência e os impactos de uma pessoa, ou qualquer ser vivo não simplesmente para. 
 Eu não deveria nem dignificar uma afirmação idiota como essa com uma resposta.
5- Os finais são exatamente os mesmos mas com cores diferentes
Eu não sou burro o bastante para necessitar de um slideshow para imaginar quais foram as ramificações de todas as minhas decisões combinadas.
 E não, os finais não foram os mesmos. As cutscenes foram as mesmas (e a bioware foi capaz de fazer uma só cutscene que com variações de contexto foi capaz de se aplicar a todos os finais. Isso é ARTE), mas filosoficamente a BioWare não poderia ter encontrado três finais mais diferentes e ainda assim amplos o bastante para se adequar a quelquer tipo de filosofia que uma pessoa venha a ter em relação a esse assunto.
 Mas como eu disse, as pessoas não querem pensar.
6-Plotholes
 1º A armada inteira morreu! Os Com os mass relays destruídos ela vai ficar presa na terra e eles não vão poder viver só da terra.
 Foda-se. O resto da galáxia sobreviveu. Você acha que os Quarians não deixram UM casal em Rannoch? e quanto aos Turians em Palaven? e as milhares de colônias? E os Salarains que nem foram atacados?
 Porque aquela armada é tão importante assim? da ultima vez que que chequei isso era uma missão suicida.
 PERDAS
ACEITÁVEIS.
2º Ninguém sabe o significado definitivo.
 Ótimo!
3º O Joker me abandonou, ele nunca faria isso!
 Você não estava na nave e ele tem todas as razões para acreditar que você está morto.
4º A arma do final tem munição infinita.
Tem razão, ok galera, é oficial, Mass Effect é o pior jogo de todos os tempos, a pistola tem munição infinita...
5º Os turians e os quarians vão morrer de fome.
Foda-se.
6º A opção de unir os sintéticos e os orgânicos é magia espacial, não tem explicação.
Os reapers são muito, MUITO mais avançados que nós. Além do mais, isso é um trabalho de ficção. Tem muitas coisas muito mais impossíveis no universo de Mass Effect do que isso (viajar mais rápido do que a luz, por exemplo).
7º Mas tem uma explicação para viagens acima da velocidade da luz no universo de Mass Effect.
 Sim, uma explicação tosta. Então já que isso tem explicação então a união tem uma explicação também, ela só não é dita.
7- Cutscene pós créditos para explicar melhor o que aconteceu.
É, já respondi essa ali em cima.
 A controvérsia em relação ao final de Mass Effect mostra a imaturidade do público gamer. Além de não estarem dispostos a aceitar um final diferente do que eles imaginaram (sejamos justos, todos sabem que o que essa gente queria era um final estilo Michael Bay), serem incapazes de apreciar um final tão intrincado e artístico como esse e bebês chorões que no menor sinal de contradição batem o pé e abrem o berreiro até que os seus desejos sejam atendidos.
 Mass Effect 3 é o meu jogo favorito de ps3. Tem algumas imperfeições, Algumas coisas que eu faria diferente, algumas decisões contestáveis. Mas isso não me impede de amar esse jogo. o seu coração está no lugar certo. A história e o modo como você a vivencia são espetaculares e sem precedentes. O jogo trata de assuntos maduros de uma forma adulta e que estimula o pensamento.
 é também um dos jogos mais emocionalmente envolventes que eu já joguei, com muitos dos momentos mais tocantes que eu já experimentei segurando um controle. A Microquest "Blue Rose of Illium" é um momento que eu jamais esquecerei.
 E uma ótima jogabilidade e gráficos não prejudicam.
 Eu acredito que um dia a justiça será feita (como foi feita com Cidadão Kane, Alien, 2001 e muitos outros grandes filmes e livros) e Mass Effect 3 será reconhecido como o jogo fantástico que ele é, como um integrante em uma nova era de jogos e do modo como nós contamos histórias com eles.
 Quando eu penso sobre games como forma de arte o primeiro na minha cabeça sempre é Shadow Of The Colossus (assim como deve ser com muitos de vocês), bem, agora é Mass Effect 3.
 Tem, tanta coisa espetacular sobre esse jogo! Pela primeira vez o combate em ME é tão bom quanto a média do resto da indústria dos games; Não só a história está melhor mas a forma como o jogador a experimenta está mais refinada; a interação com os personagens está mais madura; a cidtadel está mais rica e povoada; Tem mais pequenos momento tocantes como a Blue Rose of Illium; O sistema de moralidade se foi, substituído por um sistema de fama que faz MUITO mais sentido e o sistema de RPG é uma grande evolução em relação ao 2.
 No geral é um jogo mais evoluído e refinado, um jogo MELHOR EM CADA ASPECTO ao menos em relação ao 2 que ninguém que reclama do 3 discorda ser um ótimo jogo. Mas o povo resolveu ignorar isso, decidiu que é um jogo horrível por causa do fim, DECIDIU que a EA forçou a Bioware a apressar o jogo, DECIDIU que o final apresentado no jogo não foi aquele intencionado.
 Mas foi, foi um final profundo, em tom com o resto dos jogos, com uma mensagem relevante a vida e um esforço artístico. Mas ninguém nem considerou isso, para eles games não são arte, games são vibradores. Para eles games só existem para satisfazer aos seus desejos.
 Eles não estavam putos com aquele final em especial. Se o jogo não tivesse 364 finais e todos fossem compostos de um bilhão de explosões ao estilo Michael Bay eles não iriam gostar. Eles colocaram as suas expectativas no lugar errado, e eles MERECERAM não gostar desse final.
 Mas a Bioware não merecia nada disso, não merecia ser acusada de ter perdido o seu talento justo quando ela lançou a sua obra prima, não merecia ser forçada a lançar um conteúdo que não faz nada além de explicar (desnecessariamente) um final tão lindo e inteligente.
 Mass Effect 3 é o melhor jogo desse geração e a maior expressão de arte dessa mídia. Eu falo isso com um mínimo de dúvida e nenhuma arrependimento.
 É o Cidadão Kane dos games, um dos únicos jogos a expandir a barreira artística dessa indústria e merecia mais que isso. 
 E pelo que eles receberam eu estou envergonhado de ser um Gamer.

26 de jul de 2012

EU AMO A VIDA, EU AMO O MUNDO, EU AMO A HUMANIDADEEEEEEEEEEEEEEE!!!!!

ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOU! ELE VOLTOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOU! 
 As primeiras imagens do novo desenho de CRAIG MOTHERFUCKING MCCRAKEN, o Gênio por trás de Meninas Superpoderosas, Mansão Foster Para Amigos Imaginários e Diretor de O Laboratório de Dexter...
VAI
FAZER
UM
NOVO
DESENHO!
Música, por favor! Sim, essa música é extremamente boba e EU NÃO DOU A MÍNIMA!
Ahhhhhhhh, honestamente, eu acho que eu vou ficar alegre assim por uma semana, no mínimo.
Eu não quero me afobar e acabar ficando hypado demais por nada mas... Eu acho que nós podemos estar perto de uma nova era de ouro para a animação infantil para a tv...
 Gravity Falls, Regular Show, My Little Pony: Friendship is Magic, Adventure Time, Avatar: Legend of Korra, tudo isso em um curtíssimo período... Será?
 Ah, eu esqueci de mencionar LAUREN MODDAHFUCKING FAUST vai ser a co-produtora do show. 
 O cast também vai ser foda, TOM GAWDDAMN KENNY (O dublador do Bob Esponja em inglês) e KEITH QUITERESPECTABLEVOICEACTOR FERGUSON (O dublador do Bloo em inglês) já estão confirmados.
 bem, é isso! Acabei de descobrir que um comentário extremamente longo meu em uma webcomic que eu sou fã bugou e eu perdi tudo o que eu tinha escrito E EU ESTOU POUCO ME FODENDO!
Craig.
McCracken.

18 de jul de 2012

Crítica: Valente

 Blahghblaaaaaaaaarghhhhhhhhh Evil Monkey blog.
 Como ninguém liga pra Gravity Falls mas algumas pessoas podem ainda ligar para as minhas críticas dos filmes de Pixar eu resolvi priorizar a minha crítica de Valente.
 Ok, valente é... Bom, um bom filme, personagens bons, humor bom, a animação é tão boa quanto qualquer um pode esperar da Pixar, em suma, eu detestei.
 Ok, ok brincadeira, como eu disse Valente é um bom filme, é divertido, um bom entretenimento, seus filhos provavelmente vão adorar se você tiver alguma dessas pestes parasitas dos infernos. Maaaaaaaaas... Não... É... Algo... que eu vim a esperar da Pixar.
 Wall-e é um filme tocante e uma obra prima do cinema expressivo, uma aula de como fazer filmes visuais, como fazer filmes que passam emoções e significado sem palavras sem falar de um dos romances mais fantásticos da história da animação e personagens extremamente tocantes com caracterizações profundas. Toy Story 3 é um filme extremamente maduro, mas perfeitamente assistível para crianças, os personagens que nós passamos tanto tempo apaixonados tem que lidar com todos os seus conflitos e passam pelos momentos mais duros de suas vidas, é uma conclusão perfeita e não poupa o público de verdades inconvenientes, é um filme corajoso que tem algumas das cenas mais fortes em um filme infantil sem cruzar a tênue barreira de se tornar apelativo ou assustador. Up é outra aula do cinema sem diálogos, com alguns dos personagens mais adoráveis de todos os tempos e algumas das cenas mais tocantes e emocionantes da animação. Os temas de perda, aceitação e o medo de não ser o bastante para a pessoa amada são assuntos que todas as pessoas lidaram ou terão que lidar um dia formando assim uma conexão extremamente intensa com o público.
 Além disso esses três filmes (assim como a maior parte dos outros filmes da Pixar) são quase perfeitos em seu polimento, ritmo, estruturalmente sem falhas e com balanço perfeito entre presença de personagem e exposição.
 Valente é... Legal... Mas falha em muitos desses assuntos, nunca há uma conexão intensa com o expectador, a exposição é óbvia, muitos elementos são utilizados só para por os personagens aonde eles devem estar  para a história (Plot devices) com pouca ou nenhuma explicação, muitos personagens não fazem quase nada, a mitologia e universo são pouco explorados ou desenvolvidos, e o ritmo poderia melhorar.
 Nenhum desses problemas mata o filme, e jeito nenhum, o filme é divertido, mas não vão esperando que se compare às outras obras primas da pixar, pois essa não é uma dessas. é um bom filme, algo que eu esperaria de uma (ack!) Dreamworks ou uma (uhg!) Sony animation em um dos seus bons dias. Não da Pixar.
 Se o filme fosse um pouco mais longo muitos desses problemas seriam resolvidos, mas esse filme nunca seria capaz de ser o melhor da Pixar, na minha opinião, as suas falhas são bem estruturais. É quase impossível explorar melhor os temas centrais (o relacionamento com a mãe, a rebeldia reprimida), e a protagonista poderia ser bem melhor, eu acho que a Pixar não trabalha muito bem com histórias de crescimento pessoal. Os melhores temas que a Pixar trabalhou foram os de aceitação (Toy story 2, Toy story 3 e Up), paternidade (Monstros S.A., Procurando Nemo e olha lá Up de novo), amor (Wall-E, Os Incríveis e hey toma aqui Up outra vez), perda (Wall-E, Procurando Nemo e sim, Up). Mas personagens-que-estavam-errados-mas-depois-aprendem-a-lição-e-ficam-melhores-pessoas-no-final funcionam melhor como arcos de personagens adjacentes aos temas principais e não o foco principal do filme como foi o caso de Carros, Carros 2 e Valente.
 Eu não sou idiota de dizer que esse é o fim da Pixar, de jeito nenhum, sim ano passado Carros 2 foi o pior filme que ela já fez, sim, Valente não é o melhor trabalho que ela já fez, isso só prova que ela é humana e capaz de cometer erros. A maior parte dos diretores e produtores continua o mesmo desda época de Procurando Nemo então eu não estou nada preocupado. Ano que vem Monsters University vai ser ótimo, marquem as minhas palavras.
 Pois a Pixar não faz nada relacionado a uma franquia a não ser que eles realmente tenha algo a adicionar (carros não conta) além disso Mike e Sully tem um dos melhores Bromances da história da animação e eu estrou extremamente animado para ver-los de novo.
Nota final: 7847 de 9123.

Visualize seu IP

Sign by Danasoft - For Backgrounds and Layouts