27 de abr de 2011

Interrompemos as minhas férias para um post de utilidade pública.


Olá leitores, deixei as minhas 45 namoradas esperando na jacuzzi por um minuto para falar de uma coisa que pode interessar à vocês.
 É sobre a campanha Preço justo, proposta pelo Felipe Neto.
Ok, talvez você não goste do Felipe Neto, mas se uma pessoa está certa ela está certa.
 Em um vídeo ele propôs uma campanha para diminuir o preço sobre eletrônicos como playstations, dvds I-pads e jogos.
 Você pode dizer que esse tipo de coisa nunca funciona, mas lembre-se que o dia do jogo justo foi um sucesso moderado que beneficiou várias pessoas, mas nós não podemos parar por aí, não somos como um cão que você pode simplesmente atirar um osso que nós vamos perder a atenção. NÃO! A luta por nossos direitos não deve parar por aqui, ela está apenas começando!
 Para contribuir você pode adicionar esse vídeo aos favoritos, além de dar um 'like', isso ajudará o vídeo a se promover.
 Depois disso vá ao site oficial e assine o abaixo assinado.
 E por fim, se você tiver um blog, tumblr, twitter, orkut, facebook ouqualquer rede social promova essa causa, afinal, o maior beneficiado será você.
 Isso tudo não terá o menor custo à você e pode ser feito em menos de dois minutos.
 Ps: da última vez que eu chequei o abaixo assinado já tinha mais de 140 mil assinaturas.

8 comentários:

Jack, The Ripper disse...

Boa ideia, mas não vai dar certo.

Evil Monkey disse...

Não custa nada tentar.

Alexandre A. disse...

Cara, esse projeto do preço justo é muito falho.

O Felipe Neto (que não tirou a "porra" da boca um instante sequer do vídeo) simplesmente negligenciou fatos básicos da economia, no que diz respeito a taxação de impostos.

O Brasil tem uma carga de impostos altas se comparadas aos EUA, mas em compensação o PIB de lá é altíssimo pra compensar os "Impostos não cobrados".

A questão da carga tributária no Brasil não é o quanto se cobra nos impostos mas como se cobra, de quem se cobra e mais importante de tudo, o retorno do que nos é cobrado.

E o Felipe Neto foi muito exagerado no que ele falou. Até parece que a toda imaculada presidente Dilma, vai descer de seu palácio pra receber uma petição de um vlogger qualquer da vida, popularizada por hashtags de twitter...

É muito mais fácil sair querendo quebrar o pau e induzindo adolescentes revoltados de classe média a fazerem protesto com o rabo sentado no sofá e atrás da tela do PC, do que fazer o que realmente deveria ser feito, que seria não a diminuição dos impostos, mas sim a fiscalização do destino dos mesmos.

E o mais foda é que tudo no Brasil tem imposto, até pra comer a gente tem que pagar imposto, mas as pessoas egoístas que só elas, só se revoltam com o que é cobrado pelos video-games. /facepalm

Mal pelo post imenso, macaco, mas isso meio que tava preso na garganta desde que eu vi esse vídeo (ou melhor, as reações das pessoas ao o verem).

Alexandre A. disse...

Cacete, a petição pede até CPF!!!

Que imbecil que vai confiar um documento tão importante pra um site da interwebz sem o mínimo de segurança??????????

Lucas Sena disse...

Eu também vou fazer propaganda dessa campanha no meu blog. As coisas não vão pra frente no Brasil porque falta iniciativa. Eu acredito que esse projeto tem sim como dar certo. E Alexandre, "entregar na mão da Dilma" foi um jeito dele falar que vai fazer esse abaixo assinado vai chegar aqui em Brasília, nas mãos dos deputados.

Evil Monkey disse...

Cara, o CPF sem nenhuma outra informação é completamente inútil como arma criminal, tanto que ele nem é secreto.

Eu concordo que a luta contra a fome fome é mais importante que a diminuição do custo de eletrônicos, mas uma causa não afeta a outra. Eu posso apoiar a luta contra os impostos abusivos sobre games e apoiar a luta contra a fome.

E essa parada do pib não é verdade, o Brasil tem o maior Pib da américa latina E o maior imposto sobre eletrônicos das américas (e um dos maiores do mundo).

Quando eu fui à argentina os jogos custavam de 15 à 50 reais mais baratos e o pib argentino é consideravelmente menor que o brasileiro.

E eu concordo que a fiscalização dos impostos seria melhor que a diminuição dos impostos sobre os eletrônicos, mas eu acho isso mais improvável do que um bafafá da internet resultar na diminuição dos impostos. Prá você ver!

Alexandre A. disse...

O que mais tem no mundo são sites que pedem cpf na hora de fazer cadastro, que tempos depois acabam sendo hackeados e os cpfs dos usuários acabam sendo usados pra clonagem de celulares e afins...

Macaco, eu me referi aos impostos no que diz respeito a produtos em geral, não apenas a video-games. Se você for comparar o preço de produtos como alimentos, eletrodomésticos e importados entre Brasil e Argentina, vai ver que eles também tem altos impostos em cima desses produtos assim como nós, apesar de no caso deles nem ser tão ruim quanto o nosso já que o peso deles anda desvalorizado...

No caso dos video-games, nós somos cobrados AINDA mais impostos por que dentro das nossas leis eles são considerados jogos de azar, e recebem ainda mais taxa tributária por conta disso.

De qualquer forma, fica aqui uma matéria pra reflexão:

http://www.imprenca.com/2011/04/preco-justo-e-o-ativismo-de-sofa.html

Jack, The Ripper disse...

Alexandre A. concordo plenamente com a sua opiniãi sobre o assunto. Tu escreves bem, cara. Bem que tu podias re-ativar o "Black Cat World".

Aliás, bem que tu podia voltar a comentar lá no "Diário de Um Estripador" (rsrsrsrsrsr).

Visualize seu IP

Sign by Danasoft - For Backgrounds and Layouts