18 de ago de 2010

Scott Pilgrim Vs The world: the game


Desculpem pela má qualidade da imagem que ilustra esse artigo, foi a única boa imagem da capa desse jogo (ele tem capa, mesmo sendo um jogo por download)(???).
Good morning (evening, night tanto faz) champz, bem-vindos de volta ao evil monkey blog!
Ok, eu tenho plena noção de que esse blog está começando a ficar meio saturado de Scott Pilgrim, mas raios, eu criei esse blog para falar de assuntos que eu gosto e compartilha-los com pessoas que tem esses interesses em comum comigo, então achei melhor continuar postando.
 Não que ainda haja muita coisa para postar sobre Scott Pilgrim, provavelmente esse é o meu penúltimo post sobre esse assunto, considerando que depois que o filme for lançado (se é que vai ser lançado por aqui) eu dificilmente terei algo para falar depois.
 Mas continuemos em nossos trilhos, Scott Pilgrim é um dos maiores sucessos dos quadrinhos recentes, seu humor cheio de referências à cultura pop e enredo muito original cativaram milhões de fãs.
 Inclusive eu! Tanto que eu fiz não um, mas dois artigos sobre ele.
 Como eu disse, Scott Pilgrim é um enorme sucesso, e é voltado para o público gamer, some um e um e você terá a óbvia dedução que se faria um jogo dele.
 Mas eu vou dizer uma coisa, o jogo Scott Pilgrim Vs. the world: The game é tudo menos óbvio.
 É a prova perfeita de que quando um game designer conhece e ama o produto do qual o seu game é baseado e ele tiver competência, o jogo vai dar certo.
 Não só isso, a Ubisoft (desenvolvedora do game) conhece o seu público, e fez uma homenagem que qualquer fã tem que se esforçar para não gostar.
 Agora eu me toquei que o que eu disse estragou todo o suspense que esse artigo poderia fornecer...
 Sendo assim eu vou me adiantar e dizer: Scott Pilgrim Vs. The world: The game é um dos melhores games baseados em alguma coisa da história recente!
 Mas chega de delongas, Zur Die Artikel!

 Primeiramente, vamos definir o que são ótimos gráficos.
 Na minha opinião (se é que vale alguma coisa...) gráficos fodas não necessariamente querem dizer que o jogo usa as melhores tecnologias do momento. Quer dizer que eles são agradáveis e legais de se ver, que chamam a atenção para alguma coisa, que tem algo que os outros não tem.
 Em suma, para mim, a direção de arte é a parte mais importante dos gráficos.
 Sendo assim, Scott Pilgrim Vs. The world: The game é um dos jogos mais bonitos dessa geração.
 A direção de arte é de Paul Laurence Robertson, o criador do curta animado Pirate Baby's Cabana Battle Street Fight, que eu posso afirmar que é sem dúvida a pessoa mais indicada para o cargo, nem mesmo Bryan Lee O'Malley (o homem por traz da hq) teria feito um trabalho melhor.
 Basta dar uma olhada e você vai perceber que tudo é pixelado e animado como se fosse um jogo beat'em up da era 16 bits.
 Mas apesar disso você nunca se sente como se o jogo fizesse isso para poupar trabalho, não, o jogo aproveita o fato de que os gráficos são simples para se preocupar com alguns detalhes mais importantes. 
 Considerando que a hq Scott Pilgrim é baseada nos detalhes, eu acho essa uma abordagem excelente.
 Sendo assim, easter eggs (segredos escondidos que só aparecem para quem presta muita atenção e conhece os temas tratados no jogo) vão inundar a sua vista, praticamente todos os personagens que aparecem nos quadrinhos ganham uma contraparte no jogo e os inimigos são muito mais variados e com ótimas animações.
 A trilha sonora não tem nada de especial, exceto pelo fato de que provavelmente é a melhor trilha sonora na história de todos os Playstations.
 Eu estou falando sério.
 Talvez, depois de Shadow of the Colossus, mas com certeza não há nada igual no PS3.
 E olha que tem, God of War 3, Metal Gear Solid 4, Heavy Rain e Uncharted 1 e 2, todos com músicas excelentes. 
 As músicas são soberbas, todas compostas pela banda Anamanaguchi que compõe músicas para cartuchos 8 e 16 bits. Elas além de passar uma maior sensação de realismo no game (pois se você jogasse final fight com uma música moderna no fundo não seria a mesma coisa). As músicas também são extremamente viciantes e bem-compostas, são aquelas músicas que você quer botar no seu celular ou I-Pod para ouvir pelo resto da vida e não tem nem mesmo uma que não seja memorável.
 Para vocês terem uma idéia, A trilha sonora de Scott Pilgrim Vs The world: the game é capaz de competir com Ducktales, Final Fantasy e até com Zelda.
 Zelda!
 Eu não estou inventando isso, podem ouvir:
 Another winter
 Scott Pilgrim's Theme
 Airbrushed
 My Skateboard Will Go On (ok, essa não está no jogo, mas é tãããããããããão legaaaaal)
 Aliás, a minha estratégia para quando uma música horrível fica na minha cabeça é pensar em Anamanaguchi, o efeito é instantâneo!
 Eu estou com essas malditas músicas na minha cabeça desde que eu comprei o jogo a mais de uma semana e não canso delas!
 Porra, eu fico assistindo os créditos do game apenas para poder ouvir as músicas!
 Quer saber, vão baixar essa porra, vocês vão entender!(valeu Sasoriman!)
 
 Mas Scott Pilgrim Vs The world: The game  não é perfeito, ele tem dois grandes defeitos, não há multiplayer online (apenas local) e não é possível para um convidado entrar em um jogo que já começou.
 Mas tirando isso, eu não encontrei nenhum erro.
 Um engano comum é pensar que Scott Pilgrim se limita a ser uma cópia de Final Fight, Streets of Rage ou River city Ransom, ledo engano, isso seria apenas admitir que o gênero Beat'em up está morto, não Scott Pilgrim Vs the world: The game trilha o seu próprio caminho botando uma jogabilidade que não foi copiada e colada de outros jogos.
 Basicamente o grande diferencial desse jogo é a importância dos objetos do cenário. Você pode pegar objetos no chão e depois joga-los ou bater nos inimigos com eles (inimigos caídos também contam como objetos >=D).
 Além do mais, os objetos tem gravidade e inércia, sendo assim, se você chutar uma caixa contra um inimigo você vai acerta-lo e ele vai receber dano.
 Por exemplo teve uma hora em que eu tive que enfrentar uns inimigos emos apelões (muito ágeis aqueles felasdaputa) e na primeira vez que eu joguei eu perdi feio para eles.
 Na segunda vez eu joguei uma bola de basquete neles e quando ela ricocheteou eu a soquei e ela bateu neles de novo, e de novo, e de novo...até que eu derrotei os desgraçados
 Aliás, os inimigos deixam moedas quando morrem que nem na hq.
 Moedas que você usa para comprar coisas que aumentam a sua força, agilidade, defesa e força de vontade.
 Os personagens sobem de nível, mas isso apenas lhes dá novos ataques, para você conseguir aumentar os seus atributos é preciso comprar itens em lojas.
 Isso acarreta duas coisas, uma é que não há muita diferença entre os personagens, Kim é mais ágil, Stills (que é ultra awesome!) é mais forte, mas logo tudo isso pode mudar drásticamente. A segunda coisa que acarreta é que quando você está jogando sozinho o jogo fica muito difícil, então você tem que fazer um pouco de grinding (jogar a mesma fase algumas vezes para conseguir moedas e melhorar os seus atributos) para conseguir passar.
 Na minha opinião não é um grande problema, até aumenta a vida útil do jogo.
 Além disso um jogo 16 bits sem dificuldade não é um jogo 16 bits.
 Dito isso,eu posso afirmar que Scott Pilgrim Vs. The world: The game é um jogo feito para se jogar com amigos.
 Mesmo que o número de inimigos aumente proporcionalmente em relação ao número de jogadores, a presença de amigos permite que você seja ressuscitado, e quando você morrer possa virar um fantasma e pegar um pouco de vida de um companheiro para você voltar à luta.
 Além disso você poderá contar com cobertura quando for tentar umas estratégias mais ousadas.
 Sem falar que a quantidade massiva de caos que inunda a tela é ridiculamente divertida, e mesmo que isso as vezes cause mortes bobas (as vezes você não saber qual personagem é o seu no meio de tanta gente) raramente você se sente frustrado por perder.
 Aliás, isso não é exclusividade do multiplayer, o singleplayer também não é frustrante.

 É difícil não recomendar Scott Pilgrim Vs the world: The game, por dez dólares um jogo excelente com um ótimo valor replay (são quatro personagens destrancados no começo, dois secretos, três níveis de dificuldade, dois modos extras e UM BILHÃO de easter eggs para se achar), uma excelente jogabilidade (tão boa quanto um beat'em up pode ser) e extrema fidelidade ao material original.
 Sério, Esse jogo deveria se ensinado na faculdade de game-designers para mostrar como fazer um produto que realmente vai agradar o seu público.
 Esse game é um presente divino aos fãs de Scott Pilgrim, superou totalmente as expectativas e entregou um trabalho de mestre.
 E sério, como as desenvolvedoras não pensaram em lançar um game por download baseado em alguma coisa antes?
 Eles estão sempre reclamando que não há tempo o suficiente, e que tem que sair junto com o filme, e que adaptar é difícil, bem, jogos por download resolvem quase todos esses problemas(Não estou dizendo que esse jogo foi fruto de uma receita mágica, ele á o fruto do trabalho duro e competente dos designers. O fato dele ser lançado para download é só bom-senso).
 Sendo assim, se você gosta de Scott Pilgrim, compre Scott Pilgrim Vs the world: The game.
 Se você gosta de beat'em ups, compre Scott Pilgrim Vs the world: The game.
 Se você é aficionado por games da era 8-16 bits, ou jogos retrô em geral, compre Scott Pilgrim Vs The world: The game.
 Se você quer horas e mais horas de diversão com amigos por um baixo preço, compre Scott Pilgrim Vs The world: The game.
 E se você não gosta de nada disso, bem, Scott Pilgrim Vs the world: The game é um ótimo jeito para começar...
 Pontuação final: 9(impecável)
 lebewhol!

5 comentários:

Sasoriman disse...

Macaco, tenho um presente pra você. Por ter falado que o Stephen Stills é foda, te mandarei, TODA A SOUNDTRACK DE SCOTT PILGRIM VS THE WORLD: THE GAME!

http://www.youtube.com/results?search_query=Game+Soundtrack+AstronAstroll&aq=f

...E eu voltarei a postar no meu blog só porque vi ele do ladinho ali. É, fiquei feliz.

E... Personagens Secretos? Dessa eu não sabia. É o Mr. Chau(Só eu lembro dele, acho. D:)? Wallace Wells(Improvável.)? GIDEON(Ok, eu paro.)?

E eu também faço a mesma coisa de pensar em Anamanaguchi quando uma música chata fica na minha cabeça.

Lucas Sena disse...

Macaco e não é que você tinha razão? Elas são completamente viciantes!!!

evil monkey disse...

Valeu Sasoriman, te devo essa!

Lucas: Há, eu não te disse! A trilha sonora é a melhor coisa do jogo!

KaUm disse...

cara, você me deixou com uma vontade tremenda de ir comprar os HQs de SP...

e assim q eu conseguir comprar na PSN eu juro que pego esse jogo...

relembrar os bons tempos dos beat-em-up...


aai...ai...

evil monkey disse...

KaUm: Na verdade, comprar um cartão da psn é muito mais fácil do que parece.

E acho que junto com braid (minha próxima aquisição) e guardian of the light(ainda não saiu, mas tá quase)Scott pilgrim é o melhor jogo exclusivo por download na psn.

E tô dizendo, bater na cabeça de um cara fantasiado de dinossauro usando um paparazzi não tem preço...

Ah, e antes que eu me esqueça:
LEIA SCOTT PILGRIM!

Visualize seu IP

Sign by Danasoft - For Backgrounds and Layouts